"Não há nada escondido que não venha a ser revelado, nem oculto que não venha a se tornar conhecido". Lucas, 8:17,12:2 em Mateus10:26

"Corra o juízo como as águas; e a justiça, como ribeiro perene". Amós (570-550 a.c.)

"Ninguém pode ser perfeitamente livre até que todos o sejam".

Santo Agostinho

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Itamar Franco cumpre promessa



O ora senador Itamar Franco (PPS-MG) começou a cumprir a promessa de azucrinar o governo Dilma.




Ontem, durante a votação do Salário Mínimo travou duelo com o presidente do Senado José Sarney, por questões regimentais e também com o senador Romero Jucá (PMDB-RR).  A este afirmou que uma família brasileira não tem condições de viver com o valor proposto para o Salário Mínimo.  Perguntou-lhe se conhecia a esdrúxula frase proferida pelo ex-presidente João Figueiredo. Jucá respondeu: "que daria um tiro na cabeça".


Acho ótimo a Oposição se manifestar, fazer questionamentos e exigências.


Registro o valor do Salário Mínimo, medido em dólar dos EUA, durante o período em que Itamar Franco foi presidente da República: 1992: US$ 213,00  -  1993: US$ 100,00  -  1994: US$ 100,00.


Hoje, tendo em vista a sua aprovação no valor de R$ 545,00, o que não é nenhuma maravilha, representa US$ 320,00 na moeda norte-americana.


Romero Jucá deveria ter argüido o "topete tempestuoso" se ele sabia desses números.  Aposto que o topete ficaria mais ouriçado, certamente!  




Problemas e dilemas dos EUA

A luta de classes política nos Estados Unidos         

Autor:  Jeffrey Sachs, professor de economia. Veja a íntegra do artigo aqui.

           
            O articulista aborda o crescente nível de corrupção política nos Estados Unidos da América.  O elevadíssimo custo das eleições é bancado por grandes empresas e contribuintes com o propósito de defender os maiores detentores da riqueza nacional.

Diz que além da política corrupta praticada pelos partidos, há crescente perda de moral cívica dos EUA. Tudo se resume a dinheiro. Muito dinheiro.  Tanto republicanos como democratas estão interessados em presentear os grandes contribuintes das campanhas com profundos cortes de impostos. De modo geral, há um frenesi em se reduzir a carga tributária e aumentar os benefícios sociais para todos.

A seu ver, esta política de redução dos impostos e incremento de benefícios destinados à saúde, educação, formação e infraestrutura, resulta num paradoxo perigoso, pois, o défict orçamentário dos EUA é enorme e insustentável.  Cerca de 1 trilhão de dólares anuais.  

            Acrescenta que, hoje, o 1% dos mais ricos detém recursos mais do que 90%  de outras faixas abaixo.  Que a receita anual dos 12 mil lares mais ricos é maior do que dos 24 milhões de lares mais pobres.  Os mais pobres enfrentam cortes nos programas sociais e desemprego elevado. Um em cada oito estadunidenses depende de cartões de alimentação para comer.

            O temor dos partidos é que, no futuro, vejam-se obrigados a atacar o déficit orçamentário: elevar impostos para os ricos, cortar benefícios sociais, diminuir despesas de custeio e investimentos.

            O professor afirma que congressistas republicamos estão a dizer que farão, mesmo que temporariamente, cortes nos gastos públicos para começar a reduzir o déficit. Mas evitarão promover tais cortes no orçamento das Forças Armadas, ou seja, na indústria bélica de armamento, na inútil guerra no Afeganistão. E restará, então, a eliminação de benefícios sociais.

            Após questionar da oportunidade de tais medidas, o professor diz que Barak Obama chegou ao poder com promessas de mudança e que, até agora, não fez nenhuma. Que está umbelicalmente ligado aos banqueiros de Wall Street .  

            Conjectura da possibilidade do surgimento de terceiro partido que se comprometa com a limpeza na política e a restauração da decência e justiça. 

            Os efeitos da globalização, o crescimento vertiginoso dos meios de comunicação, o aprimoramento do conhecimento humano, as novas técnicas, modernizações, têm provocado profundas transformações na vida dos países. O nível de exigência por condições melhores por parte das populações vem aumentando a olhos vistos.




quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

“Sabe com quem está falando?”.


 Esta odiosa frase é evocada por pessoas presunçosas. Não cabe mais no mundo de hoje em que as relações entre os homens caminham para ser as mais igualitárias possíveis.

É mais um exemplo do autoritarismo que viceja em esferas de maior projeção na vida nacional, praticado por pessoas de mentalidade tacanha e “pequena”.

Confesso que não a ouço no dia-a-dia, nas ruas, em bares, em mercadinhos e supermercados, nem em barbearias, oficinas mecânicas. Não a ouço nos escritórios de profissionais liberais dos mais diversos setores.  Nem da parte dos políticos estejam eles em seus gabinetes, em locais sociais.

Ela faz parte do repertório de algumas poucas autoridades no exercício do poder público, em posição de mando. E, às vezes, até dos sem mando.  São os que se julgam detentores do poder incontestável.  A frase tem o caráter de prepotência.  Revela a falta de argumentação, de tolerância e da boa educação.

Cito de passagem dois casos que a mídia divulgou, recentemente, com certo destaque. Um deles podemos tratá-lo por "Sou Ari Pargendler, presidente do STJ. Você está demitido!".

Ari Pargendler é esse camarada da foto

Tudo começou quando o nosso presidente (eu disse PRESIDENTE!) do Superior Tribunal de Justiça acessava o caixa rápido de agência bancária e o estagiário naquela Corte, de nome Marco Paulo dos Santos, que aguardava na fila para fazer uso do caixa.

Incomodado com a proximidade de Marco Paulo (que é algo bastante subjetivo), Pargendler teria dito: “Você quer sair daqui porque estou fazendo uma transação pessoal?". Marco Paulo teria argumentado: “Mas estou atrás da linha de espera”.
O ministro: “Sai daqui. Vai fazer o que você tem quer fazer em outro lugar”.
O jovem explicou que aquele era o único caixa disponível para depósitos e, portanto, aguardaria.
O nosso presidente, já com o ânimo exaltado disse: “Sou Ari Pargendler, presidente do STJ, e você está demitido, está fora daqui”.
Em data posterior, o estagiário recebeu o famoso “bilhete azul”. 
Sentindo-se prejudicado pela intolerância do magistrado de alto coturno, registrou o episódio na 5ª delegacia da Polícia Civil do Distrito Federal no dia 20 pp. O boletim de ocorrência (BO) que tem como motivo “injúria real” e recebeu o número 5019/10. Ele é assinado pelo delegado Laércio Rossetto.
Uma testemunha do fato confirma as afirmações do estagiário Marco Paulo e narra que a reação do digno presidente do STJ foi muito forte, inclusive com tentativa de arrancar o crachá que o jovem portava dizendo: "Você já era! Você já era! Você já era!”.
Informações completas você pode verificar clicando aqui.

O outro acontecimento foi protagonizado pelo juiz João Carlos de Souza Correa, titular da 1ª Vara de Búzios – RJ, sob o sugestivo nome de “Eu sou Deus, esteja presa!”.
O fato é daqueles corriqueiros de trânsito.  O juiz foi parado em uma blitz Operação Lei Seca pela agente Luciana Tamburini.  Não teve qualquer problema quanto ao teste do bafômetro, porém o seu jipão Land Rover preto estava sem placa e ele não portava a carteira de habilitação no momento da abordagem. Ao verificar a data da nota fiscal, a funcionária constatou que o período de 15 dias para o emplacamento estava vencido e informou que o veículo seria rebocado.
Começou o bate-boca. A agente Luciana nada de aceitar as justificativas apresentadas pelo transgressor. O que restou ao digno juiz?  Disse que a agente Luciana o estava insultando. Determinou que o tenente da PM, que chefiava a operação, que a prendesse. Mas como isso não ocorreu, ele mesmo deu a voz de prisão. 
Todos foram parar na 14ª delegacia de polícia do Leblon – RJ onde foi lavrado o respectivo BO por desacato.
O juiz Correa, posteriormente apresentou a sua CNH que se encontrava com sua esposa.  
Disse que faltou habilidade por parte da agente.  “Ela me desacatou, sou um magistrado. Imagina eu, que faço Justiça, sendo injustiçado”, completou.
Ao que retrucou a agente Luciana: “Ele é juiz, não é Deus”.
A frase da Luciana é boa, mas devia ter dito: “Ele é simplesmente juiz, não é o Diabo”.  
Já imaginou o que o juiz Correa faria se fosse o Diabo?
Veja o caso completo clicando aqui.
Notas complementares para análise do caráter do juiz.
Segundo o presidente do Tribunal de Justiça do RJ, Manoel Alberto Rebêlo dos Santos, e o corregedor-geral, Azevedo Pinto já foi instaurado um procedimento contra o juiz para apurar a voz de prisão que ele deu à agente da Operação Lei Seca. Pesam contra ao referido juiz Correa denúncias por a desacatado turistas que reclamaram do barulho da festa que ele promoveu em um motel; de ter obrigado um funcionário de concessionária de energia elétrica a religar a luz de sua casa, cortada por falta de pagamento; de ter discutido com policial rodoviário por estar em alta velocidade e seu carro portar, indevidamene, giroflex proibido; de não pagar contas “penduradas” em estabelecimentos comerciais.
Eis a figurinha:
Juiz Correa


sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

musica

A Compreensão da Vida

Sabes por que o mar é tão grande?

Tão imenso?
Tão poderoso?
É porque teve a humildade de colocar-se alguns centímetros abaixo de todos os rios.

Sabendo receber, tornou-se grande.
Se estivesse apenas alguns centímetros acima de todos os rios, não seria mar, mas sim uma ilha.
Toda sua água iria para os outros e estaria isolado.

A perda faz parte.
A queda faz parte.
A morte faz parte.
É impossível vivermos plenamente satisfeitos.

Precisamos aprender a perder, a cair, a errar e a morrer.
Impossível ganhar sem saber perder.
Impossível andar sem saber cair.
Impossível acertar sem saber errar.

Se aprenderes a perder, a cair, a errar, ninguém mais te controlará.

Porque o máximo que poderá acontecer a ti é cair, errar e perder.

Feliz é aquele que já consegue aceitar o ganho e a perda, o acerto e o erro, o triunfo e a queda, a vida e a morte.

Oriente Médio – Um Caldeirão em Ebulição


Multidão comemora uma semana da queda de Mubarak no Cairo

Organizadores esperam reunir, hoje, na Praça Tahrir - Cairo, até um milhão de pessoas para participar da manifestação, com o objetivo de manter a pressão sobre o governo do país, atualmente nas mãos de militares.
Os manifestantes querem a suspensão das leis de exceção e a libertação de presos políticos, entre outras demandas.
Manifestantes pró-Mubarak planejavam, também para esta sexta-feira, o que chamaram de "contra-passeata", para protestar contra a queda do presidente Hosni Mubarak. Ele e sua família estão descansando no balneário egípcio de Sharm el-Sheikh. Após 30 anos no poder, bem que ele merece esse relax, né não?
A vida no Egito ainda não voltou ao normal, com tanques nas ruas do Cairo, greves, bancos e escolas fechados.
Porta-voz gal. Ismail Etmaan declarou na TV que as Forças Armadas não têm ambições políticas futuras e querem entregar o poder a partidos civis quando eles estiverem fortes, para que não desabem".
Ainda bem que ele esclareceu que a entrega do poder aos civis dar-se-á quando os partidos estiverem fortes!  Como  o critério é subjetivo, se demorar mais uns 30 anos, não reparem!

EUA vão destinar US$ 150 milhões para ajudar transição no Egito, diz Hillary

Serão despendidos grandes esforços na transição democrática do poder e na recuperação da economia do Egito, disse a nossa querida dama de ferro estadunidense.
O “chequinho” será da ordem de 150 milhões naquela moeda valorizada e cheia de lastro!  
Segundo Hillary, representantes do Departamento de Estado e da Casa Branca deverão viajar ao Egito na próxima semana para discutir como os Estados Unidos podem fornecer assistência. E fazer a transição do governo de forma que tudo permaneça do jeito que está, acrescento.
Muito bem, dona Hillary.  Nessas alturas, acho que o gênio da garrafa já escapou e é ele que está comandando o baita fuzuê nas mil e um noites pelas bandas orientais!  

Manifestantes anti-Khadafi convocam 'dia de fúria' na Líbia

Manifestantes na Líbia planejam realizar nesta quinta-feira uma série de manifestações de rua contra o governo do líder do país, Muamar Khadafi, 42 anos no poder, inspirados pelos protestos no Egito e na Tunísia. 
Khadafi será o primeiro faraó da Líbia, sem direito a pirâmide. Seu corpo será mumificado à base de botox e os cabelos coloridos de amarelo abacate.
O líder líbio diz que o regime de seu país difere do modelo ocidental de democracia e que seu país é administrado por uma série de comitês populares. Críticos dizem que o país é um Estado policial controlado com mão de ferro.
De acordo com a mídia estatal, também foram registradas manifestações pró-Khadafi em diferentes pontos do país, nos quais manifestantes entoaram slogans como ''Nós sacrificaremos nosso sangue e nossas almas por você, nosso líder'' ou ''Nós somos uma geração construída por Muamar e quem desafiá-la será destruído''.
Se o grande "guia" deles fosse os FHC, que canção entoariam? Tucano misteriosoooo, pássaro formosoooo, o seu destinoooo ééééé ser o nosso guiaaaaa...

Bahrein proíbe manifestações

As forças de segurança em Bahrein usaram tanques, veículos de polícia e arame farpado para cercar e isolar a praça central em Manama, capital do país.
Milhares de manifestantes foram evacuados à força da praça durante a madrugada desta quinta-feira pela polícia, que usou bombas de gás lacrimogêneo e golpes de bastão.
Esse arsenal é o cartão-de-visita favorito por aquelas paragens; tudo para garantir a integridade dos cidadãos que irão participar do programa “A praça é nossa”.
De acordo com a BBC de Londres, a polícia matou pelos menos 3 pessoas e mais de 300 pessoas foram feridas.  Justificavas: acontece que acabou o estoque de balas de borracha e eles tiveram, a contra-gosto, de usar balas convencionais contra os manifestantes, também conhecido por povo.  Aquele em que toda a Constituição que se preza aparece como detentor do poder e este será exercido em seu santo nome.
Sabem por que tudo isso tem acontece do Bahrein? É porque os chatos dos manifestantes pedem a libertação dos prisioneiros políticos, a criação de empregos e a construção de casas populares, o estabelecimento de um Parlamento mais representativo, uma nova Constituição e um novo gabinete que não inclua o atual primeiro-ministro, xeque Khalifa bin Salman Al Khalifa, que está no cargo há 40 anos.
Quem mandou apresentar tantas exigências de uma só vez?  Cacete neles!
E depois, aqui no Brasil, reclamam do Sarney!  Que está no Senado só para figuração.  Participação ativa mesmo é ser "imortal" na ABL.  

Manifestantes se enfrentam durante funeral de ativista no Irã
Ativistas contrários e a favor do regime do Irã se enfrentaram nesta quarta-feira durante o funeral do estudante Saneh Jaleh morto em protestos contra o governo realizados na segunda-feira.
O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad afirmou, em entrevista, que “inimigos” estão tentando “manchar o esplendor da nação iraniana”.
Na semana anterior, o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, havia elogiado os protestos no Egito, os quais comparou à Revolução Islâmica de 1979 no Irã.
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, criticou duramente a resposta das autoridades iranianas aos protestos.
“Acho irônico que você tenha o regime iraniano pretendendo celebrar o que aconteceu no Egito, quando de fato eles agiram em contraste direto com o que aconteceu no Egito ao abater e golpear pessoas que estavam tentando se expressar pacificamente”, disse o presidente americano.
Estados Unidos of America estão preocupados

INCRÍVEL!  Os Estados Unidos têm manifestado preocupações com a violência nos países aliados e pediram moderação e respeito aos "direitos universais de seus cidadãos" e a "seus direitos a protestar". 

OLHOS ABERTOS! Os Estados Unidos estão muito preocupados e acompanham de perto os eventos em toda a região.

COLABORAÇÃO DESINTERESSADA! Já estão enviando representantes para ensinar como se faz a transição pacífica do poder na região, dólares a granel que acabaram de sair das prensas e rotativas de imprensão e armamento moderno para garantir a segurança dos manifestantes. 

TURISMO DA ALEGRIA! Até estão oferecendo aos mais exaltados uma viagem de turismo a fim de conhecer o sol, as praias e as delícias do balneário Guantânamo, que fica na Isla de los hermanos Castro.

HORA DO RECREIO


A importância do cafezinho.
Dois leões fugiram do Jardim Zoológico.
 
Na fuga, cada um tomou um rumo diferente. Um dos leões foi para as matas e o outro foi para o centro da  cidade. Procuraram os leões por todo o lado, mas ninguém os encontrou.
 
Depois de um mês, para surpresa geral, o leão que voltou foi justamente o que fugira para as matas. Voltou magro,faminto, alquebrado. Assim, o leão foi reconduzido a sua jaula.

Passaram-se oito meses e ninguém mais se lembrou do leão que fugira para o centro da cidade, quando um dia, o bicho foi recapturado. E voltou ao Jardim Zoológico gordo, sadio, vendendo saúde.

Mal ficaram juntos de novo, o leão que fugira para a floresta perguntou ao colega:

- Como é que conseguiste ficar na cidade esse tempo todo e ainda voltar com saúde? Eu, que fugi para para a mata, tive que voltar, porque quase não encontrava o que comer ... !!!

O outro leão então explicou:

- Enchi-me de coragem e fui esconder-me numa repartição pública. Cada dia comia um funcionário e ninguém dava por falta dele.

- E por que voltaste então para cá? Tinham acabado os funcionários?
- Nada disso. Funcionário público é coisa que nunca se acaba. É que eu cometi um erro gravíssimo. Tinha comido o diretor geral, dois superintendentes, cinco adjuntos, três coordenadores, dez assessores, doze chefes de seção, quinze chefes de divisão, várias secretárias, dezenas de funcionários e ninguém deu por falta deles! Mas, no dia em que eu comi a tia que servia o cafezinho...

Estraguei tudo!!!

ESQUISITICES DO ITAMAR - 02

Ontem foram definidas as comissões permanentes do Senado. O "topete" ficou de fora. 


Itamar Franco já previa este desfecho devido ao critério da proporcionalidade dos partidos, tanto é que tinha dito que considerava  “um cerceamento do exercício do meu mandato”. 


Pois é!  Vamos aguardar se ele terá aqueles costumeiros "tpm senil".


Confira a composição das comissões permanentes:


Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ)
Presidente - Eunício Oliveira (PMDB/CE)
Vice-presidente - José Pimentel (PT/CE)

Comissão de Assuntos Econômicos (CAE)
Presidente - Delcídio Amaral (PT/MS)
Vice-presidente - Lobão Filho (PMDB/MA)

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT)
Presidente - Eduardo Braga (PMDB/AM)
Vice-presidente - Gim Argello (PTB/DF)

Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA)
Presidente - Rodrigo Rollemberg (PSB/DF)
Vice-presidente - a ser indicado pelo DEM

Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI)
Presidente - a ser definido pelo PSDB
Vice-presidente - Blairo Maggi (PR/MT

Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE)
Presidente - Fernando Collor (PTB/AL)
Vice-presidente - Cristovam Buarque (PDT/DF)
Hegemonia dos EUA
Bush quer ampliar sua influência na América do Sul
Roberto Candelori
Especial para a Folha de S.Paulo
          Periódicos latino-americanos divulgaram que os EUA e o Paraguai haviam firmado um acordo para a instalação de uma base militar norte-americana em solo paraguaio. A suposta base seria construída próximo à Tríplice Fronteira, área, segundo Washington, suspeita de abrigar extremistas islâmicos.

          A história da hegemonia norte-americana no continente nos remete a dois momentos importantes: primeiro a Doutrina Monroe, de 1820, cuja máxima "A América para os americanos" traduziu a liderança sobre toda a América. Depois a política intervencionista do "Big Stick", o "grande porrete" de Roosevelt (1901-1909), que resultou em intervenções militares.

          Agora, George W. Bush manifesta a pretensão de consolidar e de ampliar sua influência no sul da América. Washington tem uma nova estratégia hegemônica: aposta suas fichas na consolidação da Alca (Área de Livre Comércio das Américas) com vista a transformar o continente num gigantesco mercado para a circulação de produtos "Made in USA".
Sustenta a logística do Plano Colômbia, marcando posição na luta contra o narcotráfico, e em um aviso dirigido à Venezuela pressiona a OEA (Organização dos Estados Americanos) para que monitore os regimes democráticos da região.

          Agora com um discurso disfarçado de cooperação militar, a Casa Branca crava suas bases no território do país vizinho. Para os críticos, atrás dessa retórica da defesa da democracia, do combate ao narcotráfico e da luta contra o terror, o que de fato existe nessa presença estratégica é o interesse nas riquezas da região.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

De poste a governanta encantadora

 O sítio “www.vermelho.org.br” há de me perdoar, mas não posso deixar de constar do meu blog o artigo abaixo, de autoria de Mair Pena Neto. É bastante esclarecedor do momento político atual em que a desencontrada oposição, em processo acelerado de autofagia, através de recalcitrantes comentaristas, tenta pintar um quadro surreal dos fatos.

Volto após o fecho do artigo para fazer observações complementares.

Dilma na grande mídia: do “poste” à governante encantadora

16 DE FEVEREIRO DE 2011

A mídia que tratou Dilma Rousseff como um poste durante o processo eleitoral enche a nova presidente de elogios, tenta apresentá-la como antagônica a Lula e cobra dela um programa de oposição, que foi fragorosamente derrotado ano passado. Para a imprensa de mercado, Dilma é comprometida com a austeridade e tem que resolver uma pesada herança deixada por Lula, “o gastador”.

Por Mair Pena Neto, no Direto da Redação

Um leitor desavisado poderia achar que Lula saiu derrotado das últimas eleições e não que fez a sua sucessora, escolhida pessoalmente. Que Dilma não foi eleita para prosseguir as políticas dos últimos oito anos, principalmente dos quatro últimos, de redução das desigualdades e erradicação da miséria. Estes são os principais compromissos de Dilma, reiterados constantemente e que guiarão o seu governo.

Enquanto esteve à frente da Presidência, Lula acusou a herança maldita do governo Fernando Henrique Cardoso, que se evidenciava num crescimento econômico pífio (menos de 1% entre 1998 e 2002), endividamento externo aviltante, falta de reservas cambiais, inflação de dois dígitos, desemprego em alta, privatizações e Estado cada vez menor e mais fraco.

Lula, com o auxílio de Dilma, mudou inteiramente essa lógica e entregou a sua sucessora um país com crescimento médio de 4,2%, sem considerar o resultado de 2010, estimado em 7,5%; mudança de devedor para credor internacional, reservas internacionais de US$ 300 bilhões (FHC deixou o país com menos de US$ 40 bilhões), inflação dentro da meta, emprego em nível recorde e, principalmente, um papel mais ativo do Estado, responsável pela ascensão de mais de 30 milhões de brasileiros à classe média, o equivalente a quase uma Argentina.

Agora, a mídia tenta criar uma herança maldita que Lula teria deixado para Dilma, com aumento dos gastos públicos, e chega a invocar inflação e taxa de juros em alta como problemas. Os dois últimos argumentos nem mereceriam resposta. FHC entregou o país com a inflação em dois dígitos (12,53% pelo IPCA) e a taxa de juros em 27%, enquanto Dilma começa com a inflação dentro da meta (5,85%) e a Selic em 11%, depois de uma trajetória de queda no governo Lula que chegou a 8,75% em meados de 2009.

A questão dos gastos públicos é que merece discussão. O governo Lula não seguiu exclusivamente as regras de mercado, como seu antecessor e como aprecia a grande imprensa, e devolveu ao Estado um papel preponderante, não apenas nas questões econômicas, mas, sobretudo, nas políticas, incluindo a externa.

Lula aumentou os gastos para fazer políticas públicas, aquelas que causam ojeriza às elites, como o Bolsa-Família; para investir mais em educação, pesquisa, ciência e tecnologia (vide apoio maciço da comunidade acadêmica a seu governo e à candidatura Dilma) e para combater uma das maiores crises do capitalismo, que explodiu no fim de 2008 e afeta até hoje grandes economias, como a dos Estados Unidos e da Europa.
O governo Lula não aumentou impostos e desprezou o receituário dos analistas de mercado, os mesmos que sugerem agora a Obama que estenda o corte de US$ 1,1 trilhão no Orçamento à previdência e a programas de saúde para idosos e pobres. Para combater a crise, Lula obrigou os bancos públicos (política de Estado) a concederam crédito, fez desonerações tributárias e apostou no consumo, reduzindo o vagalhão que engolia o mundo à marolinha.

É lógico que isso tem custos e precisa ser revisto quando a situação melhora. O que Dilma herda não é uma situação desastrosa e inadministrável. Se fosse este o cenário que Lula tivesse encontrado quando assumiu o governo, em 2003, o Brasil certamente estaria muito melhor. Dilma foi parte importante do governo Lula, aprovou suas políticas e tende a aprofundá-las. O resto é tentativa de apresentar à população o que a presidente não é.

Fonte: http://www.vermelho.org.br/

Pronto. Voltei só para citar alguns números comparativos entre as eras FHC X Lula.

- Evolução do salário mínimo de R$240,00 para R$510,00;
- Foram gerados cerca de 15 milhões de empregos com carteira assinada na era Lula        contra 8 milhões no período FHC;
- Expansão do crédito foi de 24% para 47% do PIB;
- Aumento da renda média do trabalhador já descontada a inflação na Era Lula foi de 22,2%;
- Saldo comercial: US$ 13,1 bilhões no último ano (2002) da Era FHC contra US$ 20,2 bilhões no último ano da Era Lula, mesmo com forte crescimento no país neste ano, 2010, que sempre impulsiona as importações;
- Dívida Líquida do Setor Público – Era FHC: 60,38% do PIB; Era Lula: 40,35% do PIB.





quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

ESQUISITICES DO ITAMAR - 01


Itamar Franco, ex-presidente e atualmente senador por Minas Gerais, promete jogo duro.  Nomeado para a Comissão Especial da Reforma Política, defenderá o fim da reeleição e acabar com o que ele chamou de “ditadura partidária” onde um pequeno grupo comanda os partidos. Pensa também em sugerir candidaturas avulsas, para qualquer cargo, de pessoas que não estejam filiadas a nenhum partido.

É o único representante do PPS e pelo critério da proporcionalidade na composição das comissões permanentes do Senado corre o risco de não vir a integrar nenhuma delas.  Ele se manifestou dizendo que “É um cerceamento do exercício do meu mandato”.

Pretende também combater com todo o vigor o PT. Já no início dos trabalhos, aparteou o senador José Pimentel (PT-CE) que elogiava o governo Lula:

- V. Exªs, sobretudo do PT e do meu ex-PMDB, têm a mania de achar que o Brasil foi inventado agora, no governo do presidente Lula. Costumo até falar que, daqui a pouco, V. Exªs vão dizer que foi o presidente Lula que abriu os portos e não Dom João VI (“…) Houve muitos presidentes neste país que fizeram tanto ou mais do que o presidente Lula – disparou Itamar”.

Seu governo foi motivo de grandes chacotas por parte da nossa imprensa (principalmente a paulista e a carioca).  Os cartunistas se deliciavam em retratá-lo com aquele topete; e não podemos nos esquecer quanto ao caso da namorada "sem calcinha" Lilian durante o desfile carnavalesco da Marquês de Sapucaí – RJ.  


Não podemos negar pontos altamente positivos na atuação de Itamar Franco quando presidente da República. Foi macho ao enfrentar o todo-poderoso-baiano ACM que acusava o governo dele de falcatruas. O fez perante a mídia, que havia convidado para testemunhar a entrega das “provas”. O bufão ACM afinou feio.

Só três reparos:

a) Não consigo entender o que ele diz. Parece um rádio velho chiando. Ou eu estou ficando surdo?

b) É crítico ácido de Lula, mesmo tendo sido “premiado” com a Embaixada brasileira Itália, num “dolce far niente” de muitos anos. Gostaria de saber do motivo de tanta animosidade.

c) Passou por bobalhão quando permitiu ao raposão do FHC apropriar-se do Plano Real, criado em seu governo. Ou ele não acreditava no plano e ficou murchinho? Vai saber, né? Todo mineiro é enrustido. Bichinho desconfiado.  Bom de prosa, mas bichinho desconfiado.


RECORDAÇÃO: Bravata do ex-senador Arthur Virgílio

Ou estava alcoolizado quando fez esta declaração em plenário do Senado ou foi mais uma de suas fanfarronices.   Clique aqui.


A fez com rancor e, num ato magnânimo, vamos dar-lhe razão: em 2005 saiu derrotado das eleições a governador do Amazonas, obtendo apenas 5% dos votos.  

Bravateiro contumáz e metido a valentão, desafiou Lula num total desrespeito à figura presidencial, configurando um ato anti-democrático. 

Em 2010, candidata-se novamente a uma das duas vagas ao Senado pelo mesmo estado.  Fica em terceiro lugar. A "sova" foi dada pelo povo amazonense. Que gostoso!

Agora, o "direitista" A. Virgílio diz que recusou todos os convites para assumir secretarias e/ou estatais paulistas, feitos pelo governador Geraldo Alckmin.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Khadafi exorta protestos contra Israel

معمر القذافي
O controvertido presidente da Líbia (para muitos ditador) aproveitando dos recentes acontecimentos no Egito, exortou refugiados palestinos de vários países como Jordânia, Síria, Líbano, da própria Líbia a se organizarem para protestar contra a ocupação dos seus ex-territórios invadidos por Israel.

Khadafi, no poder desde 1969, sugeriu que tais protestos sejam ser feitos de forma pacífica  e que seu integrantes portem ramos de oliveira, como símbolo da paz.

Disse que ser contrário a que países muçulmanos e árabes mantenham relações com Israel.  
Chamou esses países de vendidos, infiéis e covardes.

Quem é Muammar al-Khadafi  

É um militar bastante considerado por sua inteligência privilegiada e liderança.  Ao assumir poder em 1969, como presidente do Conselho da Revolução, nacionalizou a indústria do petróleo, proibiu a sua exportação para os EUA e confiscou propriedades internacionais.

Exigiu e obteve a retirada norte-americana e inglesa de bases militares do seu país, expulsou as comunidades judaicas do território líbio.  É acusado de financiar grupos terroristas.

Declarou ilegais as bebidas alcoólicas e os jogos de azar, fechou as danceterias, bordéis e bares trazidos pelos estadunidenses, impondo à toda Líbia respeito aos preceitos e morais do Islamismo.

Aumentou decididamente a participação das mulheres na sociedade.


Após sua mulher e sua filha morrerem em um bombardeio norte-americano a Trípoli, Khadafi se distanciou superficialmente de suas alianças com grupos terroristas.

Tinha como modelo o líder Gamal Abdel Nasser que presidiu o Egito entre 1954 a 1970, ano de sua morte.

Curiosidade:  tal qual o recém defenestrado ditador egípcio Mubarak, é vaidoso e pinta os cabelos com tinta preta forte.  


O Trema foi despedido 
 
Não sei quem escreveu, mas quem assina é o TREMA... É uma tremenda aula de criatividade e bom humor, por sinal, com acentuada inteligência.
A conseqüência é uma agradável leitura. 
     


Cartinha de despedida.


Estou indo embora. Não há mais lugar para mim. Eu sou o trema. Você pode nunca ter reparado em mim, mas eu estava sempre ali, na Anhangüera, nos aqüiferos, nas lingüiças e seus trocadilhos e piadinhas por mais de quatrocentos e cinqüentas anos. Até brincavam que a lingüiça carregava duas bolinhas em cima. Agora, tiraram essas bolinhas e muitas delas continuam carregando duas bolinhas em baixo que apenas seus admiradores é que percebem... 


Mas os tempos mudaram. Inventaram a tal da Reforma Ortográfica e eu simplesmente tô fora. Fui expulso pra sempre do dicionário. Seus ingratos! Isso é uma delinqüência de lingüistas grandiloqüentes!... 


O resto dos pontos e o alfabeto não me deram o menor apoio... A letra U se disse aliviada porque vou finalmente sair de cima dela. Os dois pontos disseram que sou um preguiçoso que trabalha deitado enquanto ele fica em pé.
          

Até a cedilha foi a favor da minha expulsão, aquele C cagão que fica se passando por S e nunca tem coragem de iniciar uma palavra. E também tem aquele obeso do O e o anoréxico do I. 


Desesperado, tentei chamar o ponto final pra trabalharmos juntos, fazendo um bico de reticências, mas ele negou, sempre encerrando logo todas as discussões. Será que se deixar um topete moicano posso me passar por aspas?... A verdade é que estou fora de moda. Quem está na moda são os estrangeiros, é o K, o W "Kkk" pra cá, "www" pra lá. 


Até o jogo da velha, que ninguém nunca ligou, virou celebridade nesse tal de Twitter, que, aliás, deveria se chamar TÜITER.


Chega de argüição, mas estejam certos, seus moderninhos: haverá conseqüências! Chega de piadinhas dizendo que estou "tremendo" de medo. Tudo bem, vou-me embora da língua portuguesa. Foi bom enquanto durou. Vou para o alemão, lá eles adoram os tremas. E um dia vocês sentirão saudades. E não vão agüentar!...
           

Nós nos veremos nos livros antigos. Saio da língua para entrar na história.


Adeus,
          

Trema.  
 “Cala a boca, Gisele Bündchen!”


Realmente, declarações não são o forte da bela e loira modelo. Nada contra loiras.  Tudo a favor das belas.

Foi com a frase acima que o jornal norte-americano “NY Post” aconselha a nossa Übermodel (Über significa além, acima) a não se manifestar por causas de suas frases como:

Sobre a amamentação: "deveria haver uma lei mundial obrigando as mães a amamentarem seus filhos por seis meses";

Sobre sexo antes do casamento: "ninguém mais é virgem quando casa... me mostrem alguém que é virgem";

Sobre o enteado dela: "não é porque outra pessoa deu ele à luz que ele não é meu filho".

Em recente evento Gisele falou da onda verde da moda, da importância de uma vida saudável e aproveitou para dar uma aula rápida de respiração aos presentes. "Gente, inspirem e depois expirem fazendo ahhhhhhhhhhh", disse a modelo, sendo prontamente obedecida. Alguns abafavam o riso, para não ofender a top, enquanto outros se olhavam constrangidos.

A gota d’água foi o caso do protetor solar. Ela declarou que a sua pele é imaculada e não usa protetor solar dando a entender que esse recurso não é necessário, quando dermatologistas, na totalidade, recomendam o uso como quase que obrigatório.

"Vai ver onde ela toma sol não tem buracos na camada de ozonio!", disse a top Michelli Provensi.

Fonte: Folha de São Paulo, 13-02-2011

sábado, 12 de fevereiro de 2011

ROMÁRIO FAZ ESCOLA




Não é que o palhaço-deputado (os demais são deputado-palhaço?) TIRIRICA já se matriculou
no curso de leitura e caligrafia por causa do discurso do “baixinho”?  

Está provado que a Câmara de Deputados eleva o nível cultural e intelectual do país.

Pensou que era somente o futebol e o circo?